Colecione Memórias

Colecione Memórias

Feche os olhos por um minuto. Você consegue lembrar os momentos mais marcantes da sua vida?

Aqueles que renderam as gargalhadas mais gostosas, que te fizeram emudecer, bambear os joelhos, perder o ar, o prumo, o rumo, o fio da meada.

Momentos em que a felicidade deixou de ser só mais uma palavrinha bonita no dicionário e virou tão sua quanto o seu nome.

Ou aquelas vezes em que o peito ficou pequeno pra abrigar tanta saudade e a dor marcou você profundamente feito uma tatuagem inscrita na pele.

Alguns momentos, com certeza, não duraram mais do que um sorriso. O tempo de uma piscadela, de um suspiro ou de um flash, quem sabe.
Outros se estenderam por horas. Ainda bem.

Alguns deles, imagino, foram planejados, esperados, de-se-ja-dos. Mas muitos, ah muuuitos momentos, te pegaram de calça curta, como se diz, assim como as boas surpresas da vida.

Talvez as vivências mais significativas tenham ficado na memória justamente porque foram únicas. E nem adianta apertar o replay porque, faça o que você fizer, a magia não volta.

Agora, se você desconfia dessas verdades absolutas e acha que a graça da vida está mesmo nas miudezas, aí alguns dos momentos mais valiosos se repetem sim…por exemplooo….sempre que você volta pra casa. E, cá entre nós, poucas coisas são tão boas quanto voltar pra casa.

Pros otimistas, o melhor da história sempre está por vir, já reparou? E pode ser que aquele instante arre-ba-ta-dor aconteça quando você estiver virando a próxima esquina da vida distraído, despreocupado, descabelado até.

Já pros nostálgicos, você sabe, o melhor da vida mora no passado e, não importa o que a gente diga, nem o quanto o tempo passe, the good old days are over. Mesmo.

Um instante fica impresso na alma quando existem bons encontros. Encontros com quem a gente ama. Encontros com o nosso passado sempre que ele precisar ser perdoado. Encontros da gente com a nossa própria verdade.
Porque o colorido de cada momento tá na nossa capacidade de se encantar, de reconhecer a beleza. E a beleza pode estar naquele artista premiadíssimo ocupando lugar de honra na sua parede ou no desenho feito pelo pequeno “Picasso”, que você tem aí na sua casa.

No fim, o que importa, o que importa mesmo é que você colecione momentos.

Por isso, mergulhe, abrace, viaje, experimente, crie, doe, ame, compartilhe, chore, enfrente, acredite, tente, tente de novo, tente até conseguir e viva intensamente cada minuto. Afinal, a gente não precisa de mais do que isso pra eternizar as suas melhores lembranças.

Moldura Minuto. Com você em todos os momentos, há 18 anos.

​​